Café com Ufos
 
Livros - Lançamentos e Dicas de Leitura
 
Entrevistas com Autores
 
Fotos de OVNIs
 
Casos Ufológicos
 
Galeria de Fotos
 
Vídeos Ufológicos
 
 
 
 
Clima
 
 
Os dois corpos
* Clique na imagem, para ampliá-la.
 

Temos um corpo material que nos serve de locomoção e que é visível para os outros, mas também temos um corpo fluídico que é uma cópia do material e que é apenas visível para quem já se foi, isto é, um corpo mais sutil, que utilizamos nas comunicações quando estamos no desprendimento pelo sono, sonhando. Corpo este que também é chamado de psicossoma, corpo astral, corpo espiritual ou perispírito. É com este corpo que nos comunicamos com outros seres que estão também dormindo ou que já partiram deste mundo.

É verdade que devemos cuidar do corpo material, afinal precisamos dele durante o período que estivermos aqui na Terra, e se o maltratarmos certamente nosso tempo aqui será abreviado, pois as energias constantes nele terminarão antes do tempo, e fatalmente a morte física acontecerá.

Mas é no corpo fluídico que residem informações do que fomos em vidas anteriores e onde ficarão registradas as experiências desta atual existência. Por isso, onde estiverem nossos excessos atuais, certamente estarão nossos problemas numa próxima vinda ao mundo.

Esta breve dissertação acerca destes dois corpos foi para melhor esclarecer que para muitas das nossas dificuldades encontramos explicações em ocorrências em vidas passadas, como, por exemplo, pessoas que detestam certos alimentos, têm medo de altura, ojeriza de entrar na água, falta de ar em locais fechados e tantos outros fatos. É que não sabemos o que aconteceu no passado, mas podemos ter sido envenenados com substância adicionada ao leite ou determinada comida, ou quem sabe uma queda fatal de altura, acidente aéreo, afogamento, asfixia por fumaça ou gás. Enfim, são tantos os motivos que estão relacionados a cada individualidade.

Portanto, é importante preservarmos o corpo físico, mas depois do passamento nada mais ele deve significar para nós que partimos e para os que ficam. Não existe a necessidade de cultuarmos sepulturas, mausoléus, guardar cinzas, pois que ali nada mais tem. O que vale é a memória e a prece silenciosa e íntima, conforme o Mestre ensinou.

O corpo material, depois do passamento, não tem relevância, tanto que o Dele desapareceu de onde fora sepultado, demonstrando com isso que devemos exercer a tarefa de cuidar dele apenas até o momento derradeiro.

Mas, enfim, são situações que cada um deve administrar como bem entender e segundo sua crença, mas sempre lembrar que a vida continua e que numa próxima existência o corpo fluídico que levamos daqui servirá de molde para nosso retorno, por isso a necessidade de preservar bem o corpo denso que temos agora, para a cópia sair daqui a mais depurada possível.

Que possamos ter o discernimento necessário para aproveitar o corpo material com respeito, pois moramos nele.

 

Autor: Nilton Cardoso

 
 
+ Notícias
 
 
grafitecom@gmail.com | (51) 3249.3700 – 99924.5300