Café com Ufos
 
Livros - Lançamentos e Dicas de Leitura
 
Entrevistas com Autores
 
Fotos de OVNIs
 
Casos Ufológicos
 
Galeria de Fotos
 
Vídeos Ufológicos
 
 
 
 
Clima
 
 
O caso da Noite Oficial dos OVNIs
* Clique na imagem, para ampliá-la.
 

Em 19 de maio de 1986, 21 objetos voadores de formato esférico, alguns com mais de 100 metros de diâmetro, foram avistados, captados por radares da Força Aérea Brasileira e perseguidos por aeronaves civis e militares. Tais objetos interagiram com as aeronaves comerciais em manobras arrojadas, em clara demonstração de inteligência e superioridade. Num gesto impressionante, o então ministro da Aeronáutica, Brigadeiro Otavio Moreira Lima, confirmou os fatos em coletiva de imprensa e colocou todos os envolvidos à disposição da mídia, num gesto de aparente abertura e reconhecimento do Fenômeno OVNI. Este episódio, que teve como palco principal os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, ficou conhecido no meio ufológico como A Noite Oficial dos OVNIs.

Os avistamentos começaram por volta das 18h30min, na região de São José dos Campos (SP), quando o controlador de voo da torre do aeroporto da cidade, o então segundo sargento Sergio Mota da Silva, avistou dois objetos luminosos, que destacavam-se no firmamento. Estas luzes se concentravam 2000 m acima da cidade e próximas ao marcador externo da RWY 15, a aproximadamente 15 km da torre de controle do aeroporto. Observados ao binóculo, tais objetos apresentavam bordas definidas, com intensas cintilações multicoloridas na parte inferior. Cumprindo com procedimentos habituais de sua função, o controlador entrou em contato com outros controladores de voo em Brasília e São Paulo, que confirmaram a presença dos objetos em seus radares. Toda essa comunicação foi registrada em áudios que atualmente estão disponíveis no site do Arquivo Nacional e em nossa seção Gravações em Áudio.

"Às 18h30min observei um foco de luz sobre a cidade no setor NW do aeródromo e dois outros focos próximos ao marcador externo. Os focos aparentavam ser do tamanho da cabeça de um palito de fósforo, predominava a cor vermelha, mas houve mudanças para amarelo, verde e alaranjado. Estavam parados. A observação foi feita com binóculo e a olho nu. O céu apresentava-se claro com 2/8 de cirrus, a N/NE existia uma camada de névoa à baixa altura" - 2S QSS BCT Sergio Mota da Silva. [Trecho Transcrito de Documentos da Força Aérea Brasileira referentes ao caso].

Por volta das 19 horas, o Centro de Controle de Aproximação de São Paulo (órgão que controla e orienta as aeronaves dentro da área do terminal até o momento do pouso) e o Centro de Controle de Área (órgão que monitora aeronaves em voo nas aerovias sob sua jurisdição) também registraram, através de radar, três objetos voadores não identificados sobre a região de São José dos Campos (SP). Nesse mesmo horário, outro avistamento ocorria na cidade do Rio de Janeiro (RJ). A estilista Sonia Grumbach, na época residente em um apartamento na Barra da Tijuca, observou durante 15 minutos um objeto voador luminoso que deslocava-se aos saltos e em grande velocidade sobre a cidade.

O avistamento dos UFOs sobre a região de São José dos Campos (SP) continuou. Tais objetos permaneceram imóveis durante longo tempo. Por volta das 19h40min, surgiram mais dois UFOs que também posicionaram-se acima dos primeiros, alinhados com o eixo da pista do aeroporto.

Neste momento, os radares do CINDACTA captavam aproximadamente 8 alvos não identificados em suas telas.

Por volta das 20h15min, o Centro de Controle de Área de Brasília (ACC - BS) informou ao Centro de Operações Militares (COpM) que o operador da Torre de Controle de São José dos Campos (TWR - SJ) havia avistado luzes se deslocando sobre a cidade. As luzes, embora com predominância da cor vermelha, apresentaram mudanças para o amarelo, verde e alaranjado. O operador da TWR SJ simultaneamente informa ao APP-SP, que confirma os contatos por radar na área de São José dos Campos. Durante este contato telefônico, o operador de São José dos Campos, Sargento Sérgio, testemunha e relata a aproximação de um destes objetos, que inicialmente pairava a 60 km de São José dos Campos (SP), depois deslocando-se em direção à Serra do Mar, passando a aproximadamente 20 km do aeroporto da cidade. Este objeto em particular deixou o controlador da torre local impressionado, devido ao seu brilho e à sua beleza. Ele era visualmente maior, com bordas definidas, apresentando cor vermelho-alaranjada. O operador do APP-SP confirma a presença de tal objeto no radar.

Coronel Oziris Silva
Alguns minutos mais tarde, por volta das 21h, um avião Xingu, prefixo PT-MBZ, aproximava-se para pouso na cidade de São José dos Campos (SP). A bordo da aeronave estava o Cel. Osiris Silva, que naquela ocasião deixava a presidência da Embraer para assumir a presidência da Petrobrás. Quando passavam próximo à cidade de Poços de Caldas, a 22 mil pés de altitude, foram surpreendidos por um chamado do CINDACTA I perguntando sobre possíveis contatos visuais com três alvos não identificados que apareciam nas telas de radar do Centro. Neste momento, Oziris Silva e seu copiloto, Acir Pereira, não avistaram nada de anormal nos céus de região, e por isso continuaram normalmente seu voo. Às 21h08min, ambos observaram um objeto luminoso estacionário, que de início parecia um astro normal, porém com uma forte luz amarelada tendendo para o vermelho. Ele aparentemente estava parado nas proximidades da radial 150 do VOR de São José dos Campos, o que coincidia com os relatos de testemunhas visuais anteriores e dados obtidos pelos radares. Intrigados com o avistamento, os pilotos foram autorizados a seguir em direção ao objeto na tentativa de identificá-lo. Contudo, não houve uma aproximação efetiva visual em relação ao UFO, que com o tempo foi esvanecendo, até desaparecer. Com o desaparecimento do objeto, os pilotos resolveram retomar o pouso em São José dos Campos.

"Dizem que foi um salto muito grande entre a presidência da Embraer e a presidência da Petrobrás, que subi tanto que cheguei a ver disco voador. Quando nos aproximamos de São José dos Campos, a bordo do avião Xingu PT-MBZ, Brasília pediu para observarmos alguns pontos que estavam sendo detectados pelo radar e que não estavam registrados como voos regulares dentro daquela área" - Coronel Osiris Silva.

 

Fonte: Portal Fenomenum

 
 
 
 
grafitecom@gmail.com | (51) 3249.3700 – 99924.5300