Café com Ufos
 
Livros - Lançamentos e Dicas de Leitura
 
Entrevistas com Autores
 
Fotos de OVNIs
 
Casos Ufológicos
 
Galeria de Fotos
 
Vídeos Ufológicos
 
 
 
 
Clima
 
 
Cientistas podem ter encontrado o planeta Vulcano, de Jornada nas Estrelas
* Clique na imagem, para ampliá-la.

Impressão de artista que mostra uma super-Terra em órbita de HD 26965, o lar do oficial Spock da franquia "Star Trek".
Crédito: Universidade da Flórida

 

Entre os muitos encantos da série televisiva "Jornada nas Estrelas" está o seu rico universo de personagens e planetas.

Agora, o Levantamento Planetário Dharma, num novo estudo liderado pelo astrônomo Jian Ge (Universidade da Flórida), mostrou que a ficção científica pode ser um pouco menos ficção e um pouco mais realidade: o projeto Dharma descobriu o que poderá ser o famoso planeta Vulcano da saga televisiva e cinematográfica.

"O novo planeta é uma 'super-Terra' em órbita da estrela HD 26965, que fica a apenas 16 anos-luz da Terra, tornando-o a super-Terra mais próxima em órbita de outra estrela semelhante ao Sol," comenta Ge. "O planeta tem aproximadamente o dobro do tamanho da Terra e orbita a sua estrela a cada 42 dias, dentro da zona habitável." A descoberta foi feita utilizando o Telescópio DEFT (Dharma Endowment Foundation Telescope), um telescópio de 50 polegadas localizado no topo do Mt. Lemmon, no sul do estado norte-americano do Arizona. O planeta é a primeira "super-Terra" detectada pelo Levantamento Dharma.

"A alaranjada HD 26965 é apenas ligeiramente mais fria e ligeiramente menos massiva que o nosso Sol, tem aproximadamente a mesma idade e tem um ciclo magnético de 10,1 anos, quase idêntico ao ciclo de manchas solares de 11,6 anos do Sol," explica Matthew Muterspaugh, da equipe científica e da Universidade Estatal do Tennessee, que ajudou a comissão do espectrógrafo Dharma no telescópio espectroscópico automático de 2 metros da instituição de ensino. "Portanto," acrescenta, "HD 26965 pode ser uma estrela hospedeira ideal para uma civilização avançada."

"Os fãs da franquia 'Star Trek' podem conhecer a estrela HD 26965 pelo seu nome alternativo, 40 Eridani A," comenta Gregory Henry, também da Universidade Estatal do Tennessee, que recolheu as medições precisas de brilho estelar no observatório automatizado da sua Universidade, necessárias para confirmar a presença do planeta. "Vulcan estava ligado a 40 Eridani A nas publicações 'Star Trek 2' por James Blish (Bantam, 1968) e nos 'Mapas de Star Trek' por Jeff Maynard (Bantam, 1980)," explica Henry. Numa carta publicada na revista Sky & Telescope em julho de 1991, Gene Roddenberry, o criador de "Star Trek", juntamente com Sallie Baliunas, Robert Donahue e George Nassiopoulos, do Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica, confirmaram a identificação de 40 Eridani A como a estrela hospedeira de Vulcan. O sistema estelar de 40 Eridani é composto por três estrelas. Vulcan orbita a estrela primária, e as duas estrelas companheiras "têm bastante brilho no céu de Vulcan," escreviam na sua carta de 1991.

"Vulcan é o lar do Oficial de Ciências Spock, na série original," afirma Henry. "Spock serviu a bordo da nave Enterprise, cuja missão era procurar novos mundos estranhos, uma missão partilhada pelo Levantamento Planetário Dharma."

"Esta estrela pode ser vista a olho nu, ao contrário das estrelas-mãe da maioria dos planetas conhecidos até hoje. Agora, qualquer pessoa pode observar 40 Eridani numa noite limpa e ter orgulho em realçar o planeta de Spock," comenta Bo Ma, pós-doutorado da Universidade da Flórida e autor principal do artigo científico publicado na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

"Esta descoberta demonstra que telescópios totalmente dedicados a realizar observações de alta cadência e de velocidade radial de alta precisão continuarão, no futuro próximo, a desempenhar um papel fundamental na descoberta de mais super-Terras e até mesmo planetas semelhantes à Terra nas zonas habitáveis em redor de estrelas próximas," conclui Ge.

 
 
+ Notícias
 
 
grafitecom@gmail.com | (51) 3249.3700 – 99924.5300