Café com Ufos
 
Livros - Lançamentos e Dicas de Leitura
 
Entrevistas com Autores
 
Fotos de OVNIs
 
Casos Ufológicos
 
Galeria de Fotos
 
Vídeos Ufológicos
 
 
 
 
Clima
 
 
"Libelinha" da NASA vai voar por Titã à procura de sinais de vida
* Clique na imagem, para ampliá-la.

Esta ilustração mostra o "drone" Dragonfly da NASA aproximando-se de um local de estudo na exótica lua de Saturno, Titã.

 

A NASA anunciou que o seu próximo destino no Sistema Solar é o mundo único e ricamente orgânico Titã. Avançando a busca da agência espacial pelos blocos de construção da vida, a missão Dragonfly voará para recolher amostras e examinar locais na lua gelada de Saturno.

A missão Dragonfly será lançada em 2026 e chegará em 2034. O veículo aéreo voará até dúzias de locais promissores em Titã, em busca de processos químicos pré-bióticos comuns em Titã e na Terra. A "libelinha" vai ser o primeiro veículo científico multirrotor da NASA em outro planeta: tem oito rotores e voa como um "drone" grande. Vai aproveitar a atmosfera densa de Titã - quatro vezes mais densa do que a da Terra - para se tornar o primeiro veículo a transportar, por via aérea, toda a sua carga científica para novos locais para acesso repetido e direcionado a materiais de superfície.

A lua Titã é análoga da Terra primitiva e pode fornecer pistas de como a vida surgiu no nosso planeta. Durante a sua missão de 2,7 anos, o Dragonfly explorará ambientes diversos, desde dunas orgânicas até o chão de uma cratera de impacto onde a água líquida e os materiais orgânicos complexos, essenciais à vida, já existiram juntos, possivelmente durante milhares de anos. Os seus instrumentos irão estudar até onde a química pré-biótica pode ter progredido. Também investigarão as propriedades atmosféricas e superficiais da lua e os seus reservatórios líquidos. Além disso, os instrumentos vão procurar evidências químicas de vida passada ou atual.

"Com a missão Dragonfly, a NASA fará mais uma vez o que ninguém mais pode fazer," disse Jim Bridenstine, administrador da NASA. "Visitar este misterioso mundo oceânico pode revolucionar o que sabemos sobre a vida no Universo. Esta missão de ponta seria impensável há apenas alguns anos, mas agora estamos prontos para o fantástico voo do Dragonfly."

O Dragonfly aproveitou 13 anos de dados da Cassini para escolher um período de tempo calmo para pousar, juntamente com um local de aterrissagem inicial seguro e alvos cientificamente interessantes. Pousará primeiro nos campos de dunas equatoriais "Shangri-La", que são parecidas com as dunas lineares da Namíbia e fornecem um local de amostragem diversificado. O Dragonfly vai explorar esta região em voos curtos, construindo uma série de voos "saltitantes" mais longos com até 8 quilômetros, parando ao longo do caminho para recolher amostras de áreas atraentes com geografia diversa. Vai finalmente alcançar a cratera de impacto Selk, onde existem evidências de água líquida passada, produtos orgânicos - moléculas complexas que contêm carbono, combinadas com hidrogênio, oxigênio e nitrogênio - e energia que, juntos, formam a receita da vida. O "drone" irá eventualmente percorrer mais de 175 km - quase o dobro da distância percorrida, até hoje, por todos os veículos marcianos combinados.

"Titã é diferente de qualquer outro lugar no Sistema Solar, e o Dragonfly é como nenhuma outra missão," disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da NASA para Ciências na sede da agência espacial em Washington. "É incrível pensar neste 'drone' voando quilômetros e quilômetros acima das dunas orgânicas de areia da maior lua de Saturno, explorando os processos que esculpem este ambiente extraordinário. O Dragonfly vai visitar um mundo repleto de uma grande variedade de compostos orgânicos, que são os blocos de construção da vida e que nos podem ensinar mais sobre a origem da própria vida."

Titã tem uma atmosfera baseada em nitrogênio, como a Terra. Ao contrário da Terra, Titã tem nuvens e chuva de metano. Outros compostos orgânicos são formados na atmosfera e caem como neve. O clima e os processos de superfície da lua combinaram compostos orgânicos complexos, energia e água de modo semelhante ao que pode ter dado origem à vida no nosso planeta.

Titã é maior que o planeta Mercúrio e é a segunda maior lua do Sistema Solar. Na órbita de Saturno, está a 1,4 bilhão de quilômetros do Sol, cerca de dez vezes mais distante do que a Terra. Por estar tão longe do Sol, sua temperatura superficial ronda os -179°C. Sua pressão superficial também é 50% maior que a da Terra.

A missão Dragonfly foi selecionada como parte do programa New Frontiers da NASA, que inclui a missão New Horizons até Plutão e o Cinturão de Kuiper, Juno e Júpiter e a OSIRIS-REx até o asteroide Bennu.

 
 
+ Notícias
 
 
grafitecom@gmail.com | (51) 3249.3700 – 99924.5300